Orientações para estimular a memória da pessoa idosa na pandemia de COVID-19

Utilidade Pública

COVID cuidadores(as) de idosos: pesquisa nacional sobre condições de trabalho e saúde de quem cuida.

A pandemia provocada pelo novo Coronavírus no Brasil alterou a vida de muitas pessoas, inclusive de quem cuida de pessoas idosas.

O Projeto "cuidando de quem cuida", da Fundação Oswaldo Cruz, visa realizar uma pesquisa de abrangência nacional sobre os impactos da pandemia para as condições de vida das pessoas cuidadoras de idosos e disponibilizar orientações para o cuidado nesse contexto.  

Orientações para estimular a memória da pessoa idosa na pandemia de COVID-19  Clique aqui: Cartilha Cognição  

O material procura ajudar em dúvidas mais frequentes.

"O que cuidadoras e cuidadores podem fazer para estimular a memória da pessoa idosa no período de pandemia? 

Quando a pessoa idosa, fala “me deu um branco”, “não lembro de mais nada”, “esqueço toda hora”, “não adianta que não aprendo mais nada”, “esqueci dos meus compromissos”, na verdade, ela está se queixando de que a “memória” parece estar falhando.

Essas queixas podem ter aumentado durante a pandemia, pois as orientações para “ficar em casa” mudaram muito a rotina de todas as pessoas, especialmente das pessoas idosas.

Como elas não podem sair com a mesma frequência de antes da pandemia por covid-19, podem estar fazendo menos atividades e estimulando pouco a memória.

Porém, atividades realizadas dentro de casa podem ser estimulantes.

Pensando nisso, reunimos dez dicas para cuidadoras e cuidadores estimularem a memória da pessoa idosa e manterem seu cérebro ativo.

Como por exemplo: jogar cartas ou dominó em algum horário do dia, pois, é preciso pensar em quais regras do jogo e o que fazer para ganhar a partida.

As orientações apresentadas podem ser utilizadas tanto por familiares que ajudam nos cuidados quanto por cuidadoras(es) remunerados(as)." *

Desejamos uma ótima leitura e boas experiências com os idosos.

 

(*) Texto retirado e adaptado da Cartilha Cognição publicado no site da Fiocruz